sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Quando o outono derruba uma flor...

... a primavera coloca outra no lugar.
Enfim chegou a hora, é primavera.
[Desconhecido.]

No laboratório:
S: Perguntei pro Dudu* ontem se ele sabia que era seu aniversário, ele disse que sim.
T: Ah sim, cantaram até parabéns e tal...
S: É, ele comentou. Mas falou que você tava triste...
T: Aé?!
S: Sim, falou: - Ela tava triste, não me falou mas eu vi que tava. Acho que era porque fez ''parabéns''.
T: Nada, deve ser porque eu tava quieta ontem.
S: Não sei, mas ele percebeu...
(*Dudu = 5 anos.)

K: O que você tem?
T: Eu? Nada ué! Por que?
K: Tá triste...
T: Não tô não. ^^'
K: Tá sim, pode falar o que foi!
T: Já falei, nada!
K: Acredito...
T: Ah, sei lá. Tô estranha, mas não triste. Não sei o que tô sentindo...
K: É, se você não sabe, eu muito menos... Mas assim, sei que é besta falar isso, mas tu vai
ver que logo vai passar e tudo vai voltar ao normal.
T: Eu sei, eu sei! Mas e enquanto isso? Faço o quê?
K: Continue se distraindo! Só não vai me dizer que ainda não tá satisfeita depois de ontem?
Perdeu até a conta de quanta gente lembrou de você, pessoas que você nem esperava, de
tudo que ganhou...
T: Claro que tô satisfeita! Só não sei o que tenho.
K: Pensa que me engana...
T: De verdade rapaiz! Ó, tô feliz! :D
K: Não tá não sua fingida!
T: Aaah, agora acha que sabe o que eu sinto? Porque não tô?
K: Pode até fingir um sorriso, mas seu olhar te entrega! Só quero que você fique bem...
Que volte a rir de verdade.
T: Ah, me dá um abraço!

Dizem que um abraço vale mais que mil palavras não é?!
Esses ''super diálogos'' me fizeram pensar muito. Eu fantasio e acabo acreditando, crio algo por fora completamente contrário do que está aqui dentro. Mas pelo visto, não tenho conseguido mais disfarçar. Só que é algo que não senti antes... Não sei mesmo o que é. Ando perdida na confusão de mim.



“… tenho uma coisa apertada aqui no meu peito, um sufoco, uma sede, um peso, não me venha com essa história de atraiçoamos-todos-os-nossos-ideais, nunca tive porra de ideal nenhum, só queria era salvar a minha, veja só que coisa mais individualista elitista, capitalista, só queria ser feliz, cara.”
[Caio F.]



3 comentários:

Any disse...

A confusão sempre aparece...
Mais ela nunca prevalece!
beijos flor!
Bom fim de semana!

Lethicia Lavezo disse...

oow, eu ameei esse diálogo !!
e como essa pessoa mesmo disse, TUDO PASSA. Não se desespere. Viva sua vida da melhor maneira possível. Não a desperdice por nada e nem ninguém.
logo logo vai passar querida.
um beijo :*

Tatiane Lemos disse...

Oi Ta, sabe as vezes é assim mesmo*...

Desculpe minha ausência por aqui nestes dias!
Bj

Olha aí!

Miss You Too Much Sarah Connor (TRADUÇÃO) HD (Lyrics Video)
Há um ano
Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas…
Há 2 anos

Últimos Posts