segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Algumas coisas, por mais impossíveis e malucas que pareçam...

... a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas pra um dia dar certo.


Pode ser mesmo que isso passe, pode ser que amanhã eu acorde e você tenha ido embora. Ainda assim, ainda que amanhã chegue para estragar tudo, poder chegar em casa e ver tudo diferente já são milhões de quilômetros rodados. Zilhões.




Por isso hoje eu acordei
Com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho
E desejar bom dia
De beijar o português
Da padaria...
[Telegrama - Zeca Baleiro]

sábado, 27 de novembro de 2010



' Desisti de sustentar uma imagem e procurar o amor da minha vida no caminho. Quem quiser olhar pra mim vai ter que se conformar com minhas Havaianas roxas e meu cabelo despenteado, minha desatenção e minha falta de correspondência. Ando abatida e pensando demais.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Foi quando eu senti...

...mais uma vez, que amar não tem remédio.
[Caio F.]



Mas você com esse seu jeito só seu, de não me permitir saber o que esperar de você,me faz te odiar tanto e querer tanto sua atenção. E me faz querer tanto você daqui a pouco, porque você não enjoa. Você me cansa demais, mas não enjoa.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A consequência do destino é o amor. ♪

Foi sair da sala um minuto e  pronto, ao voltar os anjinhos estavam com meu celular.
Andrey: - Pofe, a gente tá ligando! :D
- Não meniiino! Me dá isso aqui!!! :|
E quando peguei pra ver realmente tinha alguém na linha. E foi aí que veio o susto, vi um número tão conhecido na tela, número que já disquei tantas vezes. Desliguei.
Sentei e pensei então que talvez, mesmo que não acredite sempre, quem sabe esse papo de destino seja verdadeiro. Pensar assim me fez sorrir.
Mas ultimamente sei lá, tem sido mais fácil acreditar em coincidências.


[De janeiro a janeiro - Roberta Campos e Nando Reis]

 Parece mesmo que "o universo conspira a nosso favor...'' . Pena que a gente não ajuda. ;~

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tudo errado...

Eu não faço a menor idéia do que vejo em você, mas também não faço idéia do que não vejo. Eu posso ter um cara mais gostoso, como de fato já tive milhares de vezes. Mas por alguma razão prefiro suas piadas velhas e seu jeito homem de ser. Você é um idiota, uma criança, um bobo alegre, um deslumbrado, um chato.Mas você é homem. E talvez seja só por isso que eu ainda te aguente: Você pode ter todos os defeitos do mundo, mais ainda é melhor do que o resto do mundo!





Eu procurei em outros corpos encontrar você

Eu procurei um bom motivo pra não, pra não falar
Procurei me manter afastado
Mas você me conhece eu faço tudo errado, tudo errado
Fim de semana, sei lá vou viajar
Vou me embalar, vou dar uma festa
Eu vou tocar um puteiro
Eu vou te esquecer, nem que for
Só por uma noite...


[Só por uma noite - Charlie Brown Jr.]

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Mas se você não me procura, é porque consegue viver bem .



Frágil – você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço.









Eu tenho sonhos, mas não hoje. Feche a porta e apague a luz, por favor.
– E se o telefone tocar diga que eu morri que estou mortinho da silva.

Estirado no chão da sala com o coração na mãoDiga que retirei meu coração

com a mão – ele estava doendo demais...

domingo, 14 de novembro de 2010

Aonde está a força de negar um desejo se enquanto ele não é saciado continua existindo?


Você pensa que é forte sendo moralista, respirando fundo, contando até mil, sumindo da festa, rezando, desviando sua atenção, mas ele está lá, num bar com amigos, te olhando de longe. E ele continua lá mesmo depois que o táxi o levou, meio embreagado, para casa. 

(...) Esse é o maior problema dos desejos, eles não aceitam não como resposta. Você só coloca um ponto final nele se for até o fim.

(...) quis não pensar, me agarrei numa lógica fria que berrou no meu ouvido que toda ação tem sua reação. Toda traidora tem seu dia de enganada. Toda vontade negada tem seu dia de câncer. Todo silêncio tem seu dia de grito desesperado. Entenda cada som, de cada letra, de cada palavra, de cada frase, de cada sentença, de cada idéia carregada de desejo, como um grito de cada parte do meu corpo que ficou lacônica quando sua presença física abandonou a festa.





quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Não sei nada, e sei tudo.

Você não sabe mais nada sobre mim. Não sabe que deixei o cabelo crescer, qual o livro que estou lendo, com quem estou me envolvendo. Não sabe que ainda penso em nós dois de vez em quando e ainda me assusto com a maneira que você participa da minha vida. Você não sabe que uma vez ou outra, ainda procuro saber de você (Indiretamente, eu juro!). Não sabe que sua felicidade me faz feliz, mas me machuca muito. Você não sabe mais nada sobre mim.

Eu não cresci, não pareço mais velha nem mais inteligente. Continuo acreditando que o amor é a solução e a justificativa para tudo. Meu cabelo continua tendo vida própria, meu sorriso ainda é inocente e minhas mãos permanecem suadas o tempo todo. Não me envolvi com pessoas fantásticas desde que você foi embora, não tomei coragem para para começar o curso de inglês. 


(...) Eu continuo usando irregularmente os óculos, tendo enxaquecas constantes e insônias destruidoras. Não perdi a mania de descascar todo o esmalte das minhas unhas, de usar a minha mochila colorida, não deixei de comer um monte de besteiras, enquanto você é preocupado com a boa forma. (...) Não deletei o blog que começou com a sua despedida, ainda chego depois quando marco com alguém, não consegui deixar de associar você com o shopping. Não tomei coragem pra entrar na autoescola, não largo meu celular nem por um segundo.
Eu continuo sendo louca por chocolate e aqueles filmes românticos que nós sempre sabemos o final, mas fingimos ser novidade. Não perdi a esperança de encontrar o amor da minha vida e ainda escondo de muita gente, o meu lado romântico. Ainda não sei cozinhar e reconheço seu cheiro no meio de um shopping lotado de gente passando rapidamente por mim. Você não sabe nada sobre mim e levou todo o meu melhor quando foi embora. Mas assim como você não sabe nada sobre mim, eu também não faço ideia de como você esteja. Não sei se ainda tem o mesmo cheiro de tomei-banho-para-sempre, se o seu sorriso ainda continua lindo e se a sua pontualidade ainda é seu ponto forte. Não faço ideia se continua sendo lotado de manias e fingindo ser o homem mais forte do mundo, enquanto morre de vontade de correr pro colo da mãe quando ninguém está olhando. Não sei se ainda pensa em mim quando escuta a nossa música. Espero que não pense em ter filhos ou levar o seu novo amor à Paris. Eu não sei nada e sei tudo.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Os dias de paz estão em nós ♪


Uma das mais saborosas sensações de liberdade que eu conheço é flagrar meu coração feliz sem precisar de nenhum motivo aparente. Rio e me sinto mar. :)


domingo, 7 de novembro de 2010

Sempre metade.


Antes de chegar à minha casa vejo que ele deixou dois chocolatinhos na minha bolsa, arremesso um deles com ódio na valeta da rua, o outro eu como, afinal, é sempre com a metade de tudo que eu fico porque ninguém nessa merda de vida consegue se dar e ser por inteiro.

sábado, 6 de novembro de 2010

Mas ele não merece? Ele me trouxe chocolates, ele mereceu!

(..) Essa vida viu, Zé pode ser boa que é uma coisa. Tive um tempo que chorava muito, não me conformava e até reclamava com Deus. Culpa desse coração burrinho e da porra do romance que não me deixa em paz. Hoje em dia, está ótimo. Não choro, não reclamo e nem apaixono. Agora tô, ó, tá vendo? De pedra. Uma pedra no lugar do coração. Uma rocha, estou quase um macho bruto. (...) me viu chegando cedinho, com o dia amanhecendo? Tava bebendo uma com os amigos, nem bebi tanto viu, fui para conversar e espairecer a cabeça, ando muito ocupada viu? Baladinha leve. E de boa. Sabe quem tava lá junto com a turma? Esse mesmo. Ele veio até me trazer em casa. Que vergonha. Eu tava meio caindo pelas beiradas não era? Era sono. Tá, um pouco disso e um pouco daquilo também, mas basicamente sono. (...)

 Eu sou estudante, trabalhadora, responsável a procura de um grande amor. A procura mesmo viu? Por isso ando em tantos lugares. Nunca se sabe em que buraco escuro o seu principe encantado pode estar escondido, o lance é procurar em todos os lugares. Enquanto ele não vem me salvar. Estou me divertindo quando posso. Nao é esse o grande conselho do mundo? Quando sua casa cai, o seu amor te deixa, você se sente perdida e sem rumo. Não mandam você se divertir e não preocupar com nada. Eu faço é isso. Me divirto com todos eles. Eu já fui do choro viu? Eu chorava, escrevia um monte de poesia profunda, textos bonitos. Quando a gente se apaixona e tudo o mais e enche o saco dos amigos com aquela melação toda. Não fica todo mundo dizendo pra gente parar de tanto drama e se divertir? Poxa, to só obedecendo todo mundo. Seguindo a risca as dicas. Não é isso que todo mundo na minha idade acha super divertido? Beber, sair. Beber, baladar, beijar. Dançar, conhecer gente nova, chegar tarde e envelhecer e não sentir nada.
Sabe, vou te contar o meu drama. No começo, eu pensei que não poderia, que não conseguiria me desligar do coração e colocar no comando outras partes do corpo. No começo até doeu um pouco não sentir nada. Mas eu até que consegui. Estou ou não metendo mala nesse assunto? Eu não sinto mais nada, por ninguém. Nada. Uns vem e são comprometidos. Uns vão e são solteiros e muito novos. As garrafas tão lá, ao lado do lixo. As cinzas e provas da minha vida vazia saem por ai dançando. E minhas dores vão juntas. No dia seguiinte, eu acordo bem, acordo fina. Tomo um banho escutando musica. Passo protetor solar. E nadinha. Nem pena das dores do mundo eu consigo sentir.
 Eu já fui pura viu? Minha pureza era linda Zé, mas ninguém entendia ela, ninguém acolhia ela. Todo mundo só abusava dela. Agora ninguém mais abusa da minha alma pelo simples fato de que eu não tenho mais alma nenhuma. Já era. É isso que chamam de ser esperto? Nossa, então eu sou uma ninja. Bate aqui no meu peito? Sentiu o barulho de granito? Quebrou o braço Zé? Desculpa.

Mas é sabado. Tem risada alta, tem festinha, tem um milhão de carros ocupando todas as vagas da garagem, tem minhas roupas curtas e maquiagem. Promete não me julgar? Porque eu tentei, juro que tentei que desse certo, mas não deu. Agora eu vivo assim, mas meu coraçao ainda é bom. 
São tantos nomes, não é? Mas é só fazer que nem eu: chama todo mundo de “o outro”. Todos são outros. Porque o de verdade, Zé, o de verdade não existe. A gente chora, escreve lá umas poesias profundas, chora, mas um dia a gente acorda e descobre que esse aí não existe não. Depois tem domingo, um novo dia. Um novo outro qualquer. Eu queria te dizer que eu sinto muito. Mas eu não posso te dizer isso porque a verdade é que eu não sinto mais nada. Nadinha, Zé.


Uma hora a gente tem que acordar pra vida né Zé?! ;p

Não me permiti, não te permiti.

Faça o que você sente que está certo em seu coração - pois você
será criticado de qualquer maneira. 
Você será condenado quer faça ou não
[Eleanor Roosevelt] 




Difícil explicar. Muitas coisas duras por dentro. Farpas. Uma pressa, uma urgência. E uma compulsão horrível de quebrar imediatamente qualquer relação bonita que mal comece a acontecer. 
Destruir antes que cresça.






É isso.
Acredite meu amigo: é melhor assim!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Apenas me ferem muito esses teus silêncios.

'Mulher nenhuma merece um homem que chora por ela, mas não move um dedo pra impedir que ela vá embora.'
Talvez Amanda Teles tenha razão ao escrever isso. De que adianta falar e falar e não agir? 
Eu escrevo uma ''bíblia'' como você mesmo diz, falo tudo, conto meus segredos e digo que é hora de ir - mesmo querendo ficar - e você simplesmente não faz nada. Nem mesmo diz tchau. 
Poderia dizer que eu escrevi sem esperar resposta, mas aí vai mais uma verdade minha: eu sempre busco respostas, não me importo se serão boas ou ruins, preciso delas. E você parece não entender, acha que calar é a melhor coisa. Não para mim. Isso faz com que pareça indiferente a tudo e eu me sinta uma boba.
E daí né?! Azar o meu.
E então, depois de ser ''forte''por um tempo que nem eu acreditava que conseguiria, enfim chorei. Sozinha, com o rosto afundado no travesseiro chorei.
Chorei por tudo que estava de certa forma acumulado esse tempo todo, chorei sem pensar em nada. Chorei pra esvaziar, chorei pra me encher de coisas novas, pra abrir espaço. Chorei pelos outros caras babacas serem tão babacas. Chorei pelo Kim ser tão legal e me lembrar você. Chorei por medo de ser sozinha, por estar cercada de gente quando quero deixar a solidão entrar. Pelas decepções com os outros, pelas decepções comigo. Pelas crianças que não tenho dado devida atenção, por querer voltar a ser uma delas. Por saudade do abraço do meu melhor amigo, por não mais me lembrar do calor do seu. Chorei por lembrar, chorei pra esquecer. Chorei pela coragem que me fez querer ir embora, chorei pelo medo de não conseguir. Pela razão ter me feito pensar que era melhor assim, pela emoção voltar e me fazer pensar que não. Chorei por medo de não ser feliz. Chorei por não ouvir o barulho de uma mensagem sua, chorei por ouvir e correr pra ver que não era sua. Chorei por tudo que fomos e por tudo que eu acreditava que ainda seriamos. Chorei por sentir saudade, chorei por te querer longe. Até dormir chorei. Me fez bem. 

Olha aí!

Miss You Too Much Sarah Connor (TRADUÇÃO) HD (Lyrics Video)
Há um ano
Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas…
Há 2 anos

Últimos Posts